Meditação Chinesa

A prática da meditação na China, sempre foi uma constante em diversas sociedades, sobrevivendo ao longo dos tempos até aos dias de hoje. A sua prática e métodos aparecem descritos no Confucionismo,  no Daoismo de Laozi, importada também da India para a China com o Budismo, ou então desenvolvida no Daoismo Religioso que de certa forma absorveu técnicas e se desenvolveu baseado em todas as escolas aqui descritas.

A meditação serviu objectivos distintos dentro de cada escola, como tal as suas técnicas são também diferentes, algumas relativamente simples e outras mais complexas exigindo “Nei Gongfu” a habilidade interna, ou seja, a capacidade do praticante controlar funções do corpo e mente que estão no domínio autónomo do cérebro e como tal, sem a nossa capacidade de as controlarmos voluntariamente.  

A meditação na China de hoje, encontra-se institucionalizada em muitas escolas, isto porque não faz sentido exercitar o corpo e não exercitar a mente. Muitos dirão que a mente é exercitada quando executamos por exemplo tarefas de raciocínio. Certo, mas para as executar com sucesso, precisamos de foco e é aqui que a meditação desempenha o seu papel mais simples e prático.

A capacidade de nos focarmos nas tarefas que desempenhamos é determinante para a nossa prestação ser eficaz. Nos dias de hoje, muitas vezes sobre pressão, não conseguimos realizar e atingir objectivos, não porque não tenhamos capacidades para lidar com essas tarefas, mas sim porque não conseguimos estabilizarmos a mente para as executar, sucumbimos a uma mente dispersa e muitas vezes intoxicada pela informação. Também no Ocidente, cada vez mais cientes desta importância bem fundamentada pela ciência, a meditação tem vindo a fazer parte do treino profissional de atletas, gestores, políticos, estudantes entre muitos outros.

No entanto a meditação não é apenas um processo de regulação da mente, designado de “Tiao Xin”, digamos que as técnicas na meditação são muito mais do que isso, podendo mesmo refazer desequilíbrios da mente, repor níveis energéticos e hormonais, retardar a degeneração dos órgãos internos ou ser usada como veículo espiritual no despertar da consciência.

“Passo a passo, mas de forma consistente, segura o papagaio pelo fio para que este se mantenha a planar, segura-o de forma ligeira e hábil, se firmares muito a mão, ele não conseguirá adaptar às mudanças do vento e cairá. Se deixares a mão muito relaxada, ele ira-se soltar. Assim se comporta a tua mente na meditação”

Próxima Formação Março 2017

Meditação Chinesa

Pequena Circulação – Xiao Zhou Tian